People Analytics: a chave para vencer a disparidade entre as expectativas dos colaboradores e as necessidades da empresa | NTT DATA

People Analytics: a chave para vencer a disparidade entre as expectativas dos colaboradores e as necessidades da empresa

De acordo com um recente estudo da NTT DATA, 80% dos líderes de RH consideram a cultura organizacional e o posicionamento como um empregador digital como fatores críticos para atrair e reter os melhores talentos do mercado 
 
A NTT DATA, empresa global de serviços de TI com foco em inovação digital, divulgou os resultados de seu estudo "People Analytics: decifrando o novo comportamento do colaborador digital", que analisou os padrões de trabalho de 3.370 pessoas em empresas de grande porte e multinacionais em nove países da América Latina. 

Nos últimos anos, organizações de diferentes setores enfrentaram uma aceleração sem precedentes de novas formas de trabalho, com predominância para o trabalho remoto e uma tendência crescente para modelos híbridos. É nesse cenário que as práticas de People Analytics vêm ganhando importância, pois permitem a coleta de dados dos colaboradores e sua conversão em informações práticas que permitem implementar estratégias de bem-estar e desenvolvimento de carreira para atrair e reter os melhores talentos do mercado. 

Esse novo ambiente de trabalho exige uma redefinição da dinâmica do relacionamento entre líderes e colaboradores para promover uma fusão entre trabalho e vida pessoal que se concentre na criação de um equilíbrio que promova o bem-estar e mantenha uma constante comunicação. A consolidação de uma liderança centrada em pessoas, autêntica, empática e flexível é uma prioridade para 60% das organizações pesquisadas. 

De acordo com a NTT DATA, o profissional do futuro tem um perfil flexível, que se adapta às mudanças e à inovação, busca a aprendizagem contínua, apresenta pensamento analítico e habilidades para compreender o mundo e o mercado em que atua. Para atrair a atenção desses perfis, 80% dos líderes de RH consideram a cultura organizacional e o posicionamento como empregador digital como fatores críticos, enquanto 82% acreditam que devem incorporar a flexibilidade à proposta de valor, índice que cai para 58% entre aqueles que acreditam que devem se concentrar em treinamento e desenvolvimento. 
 
Ao mesmo tempo, é importante monitorar o que acontece na organização. O estudo identificou, por exemplo, que 25% dos colaboradores trabalham mais de cinco horas por semana fora do horário de trabalho e outros 52% trabalham entre uma e cinco horas por semana. A análise desses dados nos permite entender não apenas o quanto um modelo é flexível, mas também prever possíveis problemas, como o esgotamento dos colaboradores. O esgotamento pode vir de outras fontes, como foi constatado no relatório, onde 22% dos colaboradores têm menos de 20 horas por semana para se concentrar, ou seja, períodos de duas ou mais horas consecutivas sem reuniões. 

Do mesmo modo, dentro do enorme desafio de gerar engajamento e promover a cultura entre os colaboradores remotos, o estudo constatou que apenas 5% dos colaboradores têm uma relação de coaching com seus líderes, ou seja, uma interação one-to-one (1:1) de pelo menos quinze minutos. Identificou-se que 37% dos colaboradores não dedicam um único minuto da semana para participar de reuniões com seus gestores. 

A pesquisa também constatou que:  

  • As organizações que são cada vez menos burocráticas e promovem mudanças ágeis permitem que suas equipes tenham tempo disponível em sua agenda para criar. 
  • A ultraconexão dos colaboradores com a tecnologia aumenta o risco de burnout. 
  • Para 69% dos colaboradores, o modelo de trabalho preferido tem sido o híbrido, em comparação com apenas 9% que optam pelo modelo presencial. 

"People Analytics é uma ferramenta fundamental para alinhar as necessidades, entender as tendências do capital humano para o futuro, compreender e atender às expectativas dos novos colaboradores, planejar ações consistentes com os novos modelos de trabalho e melhorar a produtividade organizacional e o bem-estar dos colaboradores", explicou Claudia Cornejo, Head de Talent and Transformation Américas da NTT DATA. 

Clique aqui para acessar o estudo completo "People Analytics: decifrando o novo comportamento do colaborador digital". 


我々の強み

How can we help you

Get in touch