Planejamento, landing zone e os alicerces de uma plataforma de nuvem: as chaves para uma transição bem-sucedida para a nuvem | NTT DATA

qui, 14 dezembro 2023

Planejamento, landing zone e os alicerces de uma plataforma de nuvem: as chaves para uma transição bem-sucedida para a nuvem

A maioria das organizações latino-americanas já utiliza a nuvem. A implementação de uma plataforma de nuvem robusta permitirá aproveitar ao máximo o potencial dessa tecnologia.

A nuvem é muito mais do que uma tecnologia, é considerada o alicerce que sustenta o futuro das organizações. Por isso, a adoção e a migração devem fazer parte do roteiro de modernização de TI, abrangendo os desafios do negócio, a experiência do usuário e as necessidades tecnológicas, entre muitos outros aspectos, como segurança, cultura organizacional e gestão de mudanças.

O recente estudo “Cloud na América Latina 2023”, realizado pela NTT DATA em parceria com a MIT Technology Review en español, mostra um nível elevado de adoção da nuvem na região (98%). As organizações podem usar esse relatório para aprofundar as lições aprendidas e, como uma bússola, para entender as tendências e descobrir quais são os próximos passos para alcançar níveis mais altos de maturidade.

Embora o planejamento seja um dos pilares para atingir esse objetivo, também é necessário considerar a landing zone e a plataforma de engenharia, ou seja, uma arquitetura que aborde todos os aspectos fundamentais da infraestrutura e da plataforma de nuvem para torná-las repetíveis e controláveis, garantindo a consistência e acelerando a implantação de novos serviços. A landing zone inclui padrões de segurança e conectividade e deve ser acompanhada por uma plataforma de engenharia com as melhores práticas incorporadas e automatizadas, além de contar com um catálogo de serviços que defina, para toda a organização, os usos mais adequados da nuvem.

 

Os benefícios de uma boa governança

Do ponto de vista do negócio, uma boa governança traz inúmeros benefícios. Vamos focar nos três mais importantes. O primeiro é evitar que o usuário tenha que lidar com toda a complexidade técnica. Uma nova funcionalidade pode ser ativada com um simples clique. O segundo é permitir que todo o cenário de nuvem seja gerenciado e garantir o controle de todos os recursos de nuvem, com eficiência e controle de custos. Em outras palavras, isso minimiza o risco de receber cobranças de “surpresa”, com valores não esperados por serviços contratados sem análise prévia. Em terceiro lugar, a tranquilidade de saber que tudo o que está sendo feito na nuvem está alinhado com o objetivo do negócio. É essencial, por todos esses motivos, que a definição desses fundamentos seja realizada por uma equipe especializada. Em um mercado em que os talentos especializas em nuvem são muitas vezes escassos, o apoio de um parceiro estratégico pode ser fundamental para alcançar o resultado desejado.

A transição de uma nuvem "não governada" para um modelo estruturado deve começar com uma transferência individualizada de cada aplicação que já estava em andamento, de acordo com as prioridades dos negócios, começando pelas aplicações críticas. Por exemplo, se 80% dos clientes de uma empresa utilizam o canal digital, talvez esse seja o primeiro ponto a ser analisado para determinar o consumo gerado e o nível de resiliência, segurança e estabilidade. Portanto, é imperativo avaliar cada aplicação a partir de seu status atual, das possíveis necessidades futuras e de como essa aplicação mantém a organização competitiva. Um sistema legado que tem pouco uso pode ser migrado para a nuvem no estado em que se encontra. Mas uma aplicação digital, cujo objetivo é encantar os clientes e proporcionar a eles a melhor experiência possível, deve capitalizar todos os benefícios e a flexibilidade do modelo de nuvem: a escalabilidade, a velocidade e a inovação da inteligência artificial generativa (IA Gen).

 

Modernização contínua

A modernização é um plano vivo, uma jornada contínua. Quando você terminar de analisar e transformar a última de suas aplicações, provavelmente precisará se concentrar novamente naquelas primeiras que seguiram o mesmo caminho.

Embora as estruturas híbridas predominem, muitas organizações estão buscando um esquema baseado somente na nuvem. Uma decisão inteligente que provavelmente exigirá muito tempo para as organizações consolidadas e o caminho mais escolhido pelas novas empresas digitais. De fato, é impensável usar infraestruturas locais para aplicações de tecnologias emergentes, incluindo, é claro, a inteligência artificial (IA) - por que passar por implantações com custos elevados, demoradas e arriscadas quando se pode começar a aproveitar os benefícios imediatamente? É por isso que se espera que a IA Gen, que explodiu em 2023, seja uma outra aceleradora da adoção da nuvem.

Para concluir, é possível notar que as organizações da região adotam o uso da nuvem e estão investindo para melhorar em termos de maturidade. Em alguns casos, o nível de adoção está à frente dos Estados Unidos e de países europeus, com casos de organizações sustentáveis por design e uso somente da nuvem. A continuidade de ganho de maturidade é sinônimo de geração de maior desenvolvimento econômico para a região. A inovação vive na nuvem. A nuvem é a base e o coração do futuro.


How can we help you

Get in touch