O desenvolvimento de uma cadeia de suprimentos inteligente vai além da adoção de novas tecnologias | NTT DATA

24 02 2023

O desenvolvimento de uma cadeia de suprimentos inteligente vai além da adoção de novas tecnologias

A cadeia de suprimentos, ao contrário do que se entende, impacta em todos os principais indicadores do negócio, como eficiência, crescimento, satisfação e experiência do cliente. Sobretudo, é necessário um trabalho colaborativo com outras empresas do ecossistema, tais como fornecedores, provedores de logística e parceiros. Portanto, para avançar rumo a uma cadeia de suprimentos inteligente será fundamental a otimização de cada objetivo estratégico do negócio.

Como começar? Primeiro, é importante criar um plano de transformação que não seja estático, deve ser dinâmico e se manter ativo dentro da organização, que possa ser renovado, atualizado, resiliente aos acontecimentos, preditivo e que busque melhorar os pontos fortes do negócio. A honestidade é outro ponto fundamental, pois permite identificar lacunas e poder resolvê-las rapidamente, fazer um diagnóstico ágil que nos diga onde estamos, não só em termos de questões operacionais, mas também quanto ao talento, aspectos técnicos e, é claro, tecnológicos.

O primeiro passo para obter nossa cadeia de suprimentos inteligente não é, ao contrário do que muitos acreditam, incorporar novas tecnologias, tais como sensores, ferramentas analíticas ou uma equipe de ciência de dados. Temos que partir do básico, da mudança de mentalidade necessária para entender culturalmente o que significa esta transformação, a partir da avaliação de todos os processos de ponta a ponta para entender o ABC do negócio para fazer um diagnóstico realista, ou seja, como a empresa está hoje, qual é a sua capacidade ou maturidade para implementar as mudanças, se dispões dos recursos necessários, as pessoas têm consciência da necessidade de evoluir e, caso ainda haja questões pendentes, quais atividades e decisões devem ser tomadas para reduzir as disparidades e, a partir daí, começar a avançar. Neste caso, a ordem dos fatores altera o produto, primeiro precisamos entender o que queremos mudar e, em seguida, procurar as tecnologias capacitadoras para que isso aconteça.

Os pontos de dor

Ao longo do caminho, haverá uma série de obstáculos que são um grande desafio para a empresa. Talvez os dados - o verdadeiro motor da mudança - não sejam acessíveis ou não mostrem o nível de qualidade necessária. Nestes casos, a recomendação é focar nas informações de alto nível, pelo menos adotar uma direção e depois, sim, aprofundar os detalhes para ganhar precisão e evoluir.

Outro grande obstáculo são os sistemas legados, desproporcionais e obsoletos que obstruem o progresso em direção a modelos mais ágeis e modernos, que precisam ser avaliados e analisados em profundidade.

Também existe uma escassez de perfis de talentos adequados. O ideal é contar com pessoas com experiência e conhecimento e, o mais importante, que estejam dispostas a mudar, sejam inovadoras e colaborativas.

Precisamos quebrar os silos, uma vez que representam um dos maiores desafios na criação de uma cadeia de suprimentos inteligente. A quebra de silos, tanto dentro da empresa quanto com fornecedores e clientes, é uma situação que pode parecer simples em teoria, mas que encontra todos os tipos de obstáculos na prática. O objetivo? Alcançar uma visibilidade completa dos dados de ponta a ponta. Isto implica uma verdadeira mudança cultural, deixando de lado o conceito de "propriedade" dos dados de cada integrante da cadeia e encontrando novos modelos de colaboração, não apenas entre diferentes empresas, mas também entre as áreas da mesma organização. Quando não funcionam de forma unificada, surgirão desvios, como problemas de execução e falhas na entrega de produtos em tempo hábil. No cenário atual, mesmo com a tecnologia disponível para cenários preditivos de ponta a ponta, existem poucas aplicações reativas.

A importância de estar acompanhado

Uma vez que o alicerce foi construído, é hora de identificar quais são as tecnologias mais adequadas para a estratégia definida. Além desta seleção, a palavra-chave é "agilidade": definir metas a curto prazo, obter resultados rápidos e demonstráveis e deixar que estas conquistas sustentem as iniciativas subsequentes.

Implementar provas de conceito rapidamente para comprovar de imediato o que funciona e o que não funciona. Isto também elimina riscos e reduz a rejeição. É por isso que o papel de um parceiro estratégico é fundamental em todo este processo, é quem contribui com a experiência e o conhecimento para liderar o caminho e evitar possíveis desvios.

Os benefícios de uma cadeia de suprimentos inteligente compreendem desde uma maior eficiência em custos (as eficiências são sempre obtidas nos processos) até a redução de riscos operacionais, por meio de uma melhor experiência do cliente (eles recebem o produto que querem quando precisam, com menores taxas de rejeições e devoluções) ou a identificação de novos produtos e serviços, sem esquecer que as equipes terão uma maior clareza do que devem fazer, mas acima de tudo qual é o impacto dessas atividades para que tudo funcione e que os objetivos conhecidos por todos sejam cumpridos.

Historicamente vistas como um elemento tático ou executivo dos negócios, as cadeias de suprimentos conquistam agora a posição estratégica que merecem devido a sua relevância no resultado dos negócios. E a tecnologia é a nova aliada para tornar o futuro da cadeia de suprimentos verdadeiramente inteligente.



Don't miss any updates

We’ll send you the latest insights from NTT Data straight to your inbox

Sign up to the newsletter

Related Insights

How can we help you

Get in touch