Legacy Modernization: Como sei que estou tendo sucesso em modernizar meu legado e minhas aplicações? | NTT DATA

seg, 21 fevereiro 2022 - 6.01

Legacy Modernization: Como sei que estou tendo sucesso em modernizar meu legado e minhas aplicações?

As modernizações geralmente se iniciam por sistemas Core, sendo quase sempre uma jornada longa e com alto investimento. Vamos abordar aqui alguns pontos que podem indicar o sucesso – ou sugerir um caminho de sucesso nas iniciativas de modernização de aplicações.

Nos últimos dois artigos abordamos sobre os principais desafios encontrados para investir na modernização de legados, sem deixar de citar também os desafios que encontramos no caminho de modernização de aplicações. Como mencionado anteriormente, as modernizações geralmente se iniciam por sistemas Core, sendo quase sempre uma jornada longa e com alto investimento. Vamos abordar aqui alguns pontos que podem indicar o sucesso – ou sugerir um caminho de sucesso nas iniciativas de modernização de aplicações.

 

Diagnosticando e entendendo o motivo da dor, como um médico

 

Ter  um diagnostico não-romantizado e preciso do cenário atual é a o turn-key para modernização. Entender onde estão os maiores ofensores e o PARA QUÊ (e não o porquê) modernizar, ajudam a iniciar a jornada com um determinado sucesso. Por exemplo, se temos um problema onde o negócio atual é a diminuição, crescimento ou um novo nicho de um produto e temos uma limitação clara na interface do produto, podemos iniciar a modernização aplicando entre a divisão de camadas de back-end e front-end, já utilizando novas tecnologias para liberar novas interfaces para outros dispositivos (ou canais), enquanto o back-end permanece o mesmo. 

Outro exemplo claro é o custo elevado de manutenção e/ou infraestrutura. Uma ação que poderia gerar um quick-win onde este motivo é diagnosticado como principal dor, seria uma migração para nuvem (lift-and-shift) ou mudança das licenças de maior custo (como RMDB’s on-premise).

Importante destacar aqui que esse tópico exclusivamente se trata de estratégia e sua forma de faseamento, que deve ser clara para resolver a dor diagnosticada. Para resolução de todas as dores se faz necessário uma modernização muito mais abrangente e completa – que contribui nos demais pontos do artigo, tendo um mix de fases e estratégias, como reescrita de código, utilizando as melhores práticas de arquitetura moderna e escalável no mercado, boas práticas de engenharia e DevOps e todo ecossistema de modernização.

 

 

Produtos com visão customer-centric

 

Modernização não se trata apenas de tecnologia. Olhar modernização apenas com um olhar em ter tecnologias, métodos e ferramentas que olhem somente TI, é se limitar e não encarar o que a modernização realmente pode oferecer. Utilizar uma abordagem e um mindset de desenvolvimento de produtos costumer-centric, fazendo um Discovery para desenhar as funcionalidades que realmente gerem valor para o cliente final, faz parte de uma modernização abrangente, que olha a empresa e não somente tecnologia. Um erro muito comum dos times envolvidos em iniciativas de modernização é determinar que todas as funcionalidades presentes no software ou produto atual precisam ser modernizadas e mantidas - carregadas para essa nova solução. Essa premissa também gera uma falsa sensação de que estamos modernizando aplicações e que saltamos a frente dos concorrentes – onde apenas arrastamos e modernizamos os débitos técnicos, colocando uma nova roupagem em uma aplicação que não se atualizou no seu mercado.

Para exercitar – imagine uma parte/módulo de um sistema legado com 20 funcionalidades. Em um projeto de modernização, devemos considerar a migração das 20 funcionalidades? Os usuários finais realmente precisam das 20 funcionalidades da real maneira que elas estão? Muitas vezes não e na prática, vemos muitos casos de startups surgindo e ganhando mercado com um produto digital moderno, centrado no cliente, simples e de fácil uso, com apenas duas ou três dessas funcionalidades. O processo de Discovery com o cliente no centro trará o que realmente a modernização de aplicações precisa, gerando valor e trazendo uma simplificação na jornada com inovações em novas funcionalidades que não estavam presentes no produto e nem no roadmap do sistema legado.

 

A decisão de se iniciar um projeto de modernização é multifatorial. Os ganhos com um investimento – que não é baixo, incluem maior agilidade para inovar, redução do time-to-market de novas funções e features, diminuição de custos de operação (infraestrutura, processo e ferramentas), além da ampliação da capacidade de observabilidade e rastreabilidade de falhas, garantindo maior assertividade, previsibilidade e rapidez para a resolução de problemas – que talvez não existam no modelo atual que sua empresa está atuando.

Todo o sucesso de modernizar uma aplicação legada também envolve o uso de uma linguagem de código atualizada e com excelente reputação, melhores práticas e atualidade frente ao que está disponível no mercado trazendo segurança para o produto a longo prazo, já que a mão de obra qualificada está disponível e cada vez mais concorrida para aqueles que desejam encarar a jornada de modernização a sério.

Concluímos deixando duas abordagens de sucesso para modernização de legados, enfatizando que iniciar o investimento em modernização traz um viés de modernizar não somente a tecnologia utilizada, mas também os processos, as pessoas (maior asset da empresa a se investir e modernizar), sem deixar de evoluir o produto de tempos em tempos, com olhar a necessidade dos consumidores de cada nicho.

 


Don't miss any updates

We’ll send you the latest insights from NTT Data straight to your inbox

Sign up to the newsletter

Related Insights

Como podemos ajudá-lo?

Entre em contato conosco